Manifesto para Outros Manifestos_@rody_candido

Manifesto para Outros Manifestos
Resistir dançando por alguns cantos…

Hoje tem o segundo Ensaio Aberto ás 17h30 no Espaço Cultural CITA e em Outubro estréia…

Não percam…

Vídeo: Leandro Caproni_@leandro.csfilmes
Trilha: Vitor Gonçalves_@vitormgoncalves
Dançarino: Rodrigo Cândido_@rody_candido

Confira:

 

Anúncios
por ciasansacroma

Cia Diversidança ocupa espaços urbanos e quebra rotina da cidade

Por Lau Francisco

7 Fronteiras Comunicações

O Ensaio Aberto do dia 11 de Agosto foi cancelado, mas estamos de volta, dia 25 de Agosto às 17h30 na Praça do Campo Limpo, com a galera do Espaço Cultural CITA.

Cia Diversidança

Dançar na rua é um ato político. Mostra para a sociedade o coração da dança e que ela pode ser potência política e reflexiva.  É com esta verdade em mente que a Cia. Diversidança, do diretor e bailarino Rodrigo Cândido, traz ao público de São Paulo seu mais recente trabalho contemplado pela 21ª Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança: “Manifesto Poético: Ensaios Cartográficos”. Com estreia prevista para Outubro de 2017, o espetáculo será apresentado em diversos cantos da cidade. O objetivo é ocupar espaços com apresentações de dança. A ideia é tornar esta arte mais acessível à população e, ao mesmo tempo, proporcionar reflexões.  Em meio ao caos urbano, à pressa das pessoas, ao estresse do trabalho, do trânsito, a dança da Cia surge como ponto de fuga para o olhar do transeunte/espectador constantemente embebido pela rotina da cidade.

O trabalho quer provocar uma reflexão também para os próprios bailarinos, que se questionam sobre seu ofício a partir da pergunta “Por que você dança?”, “Quais as conquistas, lutas e perdas da dança?”, “O que temos contribuído pra dança na cidade?” “A dança pode mudar o seu mundo?”, “Qual é o papel do artista da dança na sociedade?”. O projeto problematiza o desenvolvimento dessa arte, suas conquistas e perdas, os direitos trabalhistas para a categoria, a aquisição de recursos, as fronteiras entre territórios e as diferentes linguagens.

Outra característica do projeto é seu intuito de manifestar a importância que a dança exerce no cotidiano dos artistas e espectadores. O enredo foi construído a partir de diversos depoimentos entrelaçados com uma trilha sonora e coreografia. “O público pode esperar, além de uma experiência estética, uma vivência simbólica, na qual transeuntes e apreciadores também podem ser artistas”, define Rodrigo Cândido. O espetáculo nasceu a partir de uma apresentação do grupo na Mostra de Artes Cênicas – Estéticas das Periferias. Nesta oportunidade a companhia resolveu colocar em prática o desejo de criar algo para espaços urbanos e aprofundar diálogos em cena que refletissem questões pertinentes aos profissionais da dança e também para o próprio público. Os bailarinos passaram quase dois anos em pesquisa, entendendo o universo do espaço público, como poderiam tornar o trabalho mais potente.

Entre os dias 14 de Junho e 11 de Agosto de 2017 a Cia Diversidança utiliza a área externa, acesso a Estação Capão Redondo da Linha Lilás do Metrô, para realizar ensaios abertos, uma mostra do processo criativo e coreográfico pautados pela Dramaturgia da Memoria, pesquisa que a Cia desenvolve desde 2013. O ensaio aberto é uma ponte para a Cia experimentar diretamente com os transeuntes/espectadores o que estão desenvolvendo ao longo desses anos, afim de amadurecer o seu processo criativo e coreográfico.

Ficha Técnica

Direção Geral e Artística: Rodrigo Cândido

Assistência Artística/Ensaiadora: Daniele Santos

Preparação Corporal: Daniele Santos e Rodrigo Cândido

Produção Executiva: Junior Cecon

Assistente de Produção: Valéria Ribeiro

Preparação Corporal/Convidados: Begson Queiróz, Érika Moura e Luciana Bortoletto

Interpretes-Pesquisadores: Alessandro Saldanha, Cintia Rocha, Felipe Santana, Iliandra Peluso, Márcio Vitorino, Rodrigo Cândido, Rosângela Alves e Vinicius Borges

Trilha Sonora: Vitor Gonçalves

Operador de Som: Rivaldo Ferreira

Figurino e Customização: A Cia

Fotografia: Gabriel Gomes

Assistente de Fotografia: Mariana Rodrigues

Captação e Edição de Vídeo: Leandro Caproni

Assessoria de Imprensa: 7 Fronteiras Comunicação

Arte de Divulgação: Rodrigo Cândido e Willian Santana

 Depoimentos: Ana Bottosso, Andrea Soares, Andrey Alves, Cléia Varges, Cleber Vieira, Daniele Santos, Danilo Nonato, Felippe Peneluc, Lucimeire Monteiro, Ivan Bernardelli, Pedro Costa, Priscila Maria Magalhães, Nany Oliveira, Natália Siufi, Roni Diniz, Sandro Borelli, Silvana de Jesus Santos, Valeria Ribeiro, Vaneri Oliveira e Vinicius Francês

Classificação: Livre

Duração: 60 minutos aproximadamente

Realização: Cia Diversidança, Cooperativa Paulista de Dança, Programa Municipal de Fomento à Dança e Secretaria Municipal de Cultura.

Saiba mais em: https://www.youtube.com/watch?v=Orpaavhe1mw

por ciasansacroma

Fotos dos 1º Ensaio Aberto

Pra quem perdeu, veja um pouco do que rolou em nosso 1º Ensaio Aberto, realizado por meio do Projeto Manifesto Poético: Ensaios Cartográficos, contemplado pela 21ª Edição de Fomento à Dança…

Por Gabriel Gomes e assistência de Mariana Rodrigues

https://www.facebook.com/pg/Diversidanca/photos/?tab=album&album_id=1417394621711927

Por Roni Diniz

https://www.facebook.com/pg/Diversidanca/photos/?tab=album&album_id=1417412955043427

 

 

por ciasansacroma

Ensaio fotográfico de Manifesto para outros Manifestos

Ensaio Fotográfico
“Manifesto para outros Manifestos”
Projeto Manifesto Poético – Ensaios Cartográficos

Fotografia: Gabriel Gomes
Assistente de Fotografia: Mariana Rodrigues

Projeto contemplado pela 21ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo

por ciasansacroma

Cia Diversidança ocupa espaços urbanos e quebra rotina da cidade

Por Lau Francisco

7 Fronteiras Comunicações

Cia Diversidança

Dançar na rua é um ato político. Mostra para a sociedade o coração da dança e que ela pode ser potência política e reflexiva.  É com esta verdade em mente que a Cia. Diversidança, do diretor e bailarino Rodrigo Cândido, traz ao público de São Paulo seu mais recente trabalho contemplado pela 21ª Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança: “Manifesto Poético: Ensaios Cartográficos”. Com estreia prevista para Outubro de 2017, o espetáculo será apresentado em diversos cantos da cidade. O objetivo é ocupar espaços com apresentações de dança. A ideia é tornar esta arte mais acessível à população e, ao mesmo tempo, proporcionar reflexões.  Em meio ao caos urbano, à pressa das pessoas, ao estresse do trabalho, do trânsito, a dança da Cia surge como ponto de fuga para o olhar do transeunte/espectador constantemente embebido pela rotina da cidade.

O trabalho quer provocar uma reflexão também para os próprios bailarinos, que se questionam sobre seu ofício a partir da pergunta “Por que você dança?”, “Quais as conquistas, lutas e perdas da dança?”, “O que temos contribuído pra dança na cidade?” “A dança pode mudar o seu mundo?”, “Qual é o papel do artista da dança na sociedade?”. O projeto problematiza o desenvolvimento dessa arte, suas conquistas e perdas, os direitos trabalhistas para a categoria, a aquisição de recursos, as fronteiras entre territórios e as diferentes linguagens.

Outra característica do projeto é seu intuito de manifestar a importância que a dança exerce no cotidiano dos artistas e espectadores. O enredo foi construído a partir de diversos depoimentos entrelaçados com uma trilha sonora e coreografia. “O público pode esperar, além de uma experiência estética, uma vivência simbólica, na qual transeuntes e apreciadores também podem ser artistas”, define Rodrigo Cândido. O espetáculo nasceu a partir de uma apresentação do grupo na Mostra de Artes Cênicas – Estéticas das Periferias. Nesta oportunidade a companhia resolveu colocar em prática o desejo de criar algo para espaços urbanos e aprofundar diálogos em cena que refletissem questões pertinentes aos profissionais da dança e também para o próprio público. Os bailarinos passaram quase dois anos em pesquisa, entendendo o universo do espaço público, como poderiam tornar o trabalho mais potente.

Entre os dias 14 de Junho e 11 de Agosto de 2017 a Cia Diversidança utiliza a área externa, acesso a Estação Capão Redondo da Linha Lilás do Metrô, para realizar ensaios abertos, uma mostra do processo criativo e coreográfico pautados pela Dramaturgia da Memoria, pesquisa que a Cia desenvolve desde 2013. O ensaio aberto é uma ponte para a Cia experimentar diretamente com os transeuntes/espectadores o que estão desenvolvendo ao longo desses anos, afim de amadurecer o seu processo criativo e coreográfico.

Ficha Técnica

Direção Geral e Artística: Rodrigo Cândido

Assistência Artística/Ensaiadora: Daniele Santos

Preparação Corporal: Daniele Santos e Rodrigo Cândido

Produção Executiva: Junior Cecon

Assistente de Produção: Valéria Ribeiro

Preparação Corporal/Convidados: Begson Queiróz, Érika Moura e Luciana Bortoletto

Interpretes-Pesquisadores: Alessandro Saldanha, Cintia Rocha, Felipe Santana, Iliandra Peluso, Márcio Vitorino, Rodrigo Cândido, Rosângela Alves e Vinicius Borges

Trilha Sonora: Vitor Gonçalves

Operador de Som: Rivaldo Ferreira

Figurino e Customização: A Cia

Fotografia: Gabriel Gomes

Assistente de Fotografia: Mariana Rodrigues

Captação e Edição de Vídeo: Leandro Caproni

Assessoria de Imprensa: 7 Fronteiras Comunicação

Arte de Divulgação: Rodrigo Cândido e Willian Santana

 

Depoimentos: Ana Bottosso, Andrea Soares, Andrey Alves, Cléia Varges, Cleber Vieira, Daniele Santos, Danilo Nonato, Felippe Peneluc, Lucimeire Monteiro, Ivan Bernardelli, Pedro Costa, Priscila Maria Magalhães, Nany Oliveira, Natália Siufi, Roni Diniz, Sandro Borelli, Silvana de Jesus Santos, Valeria Ribeiro, Vaneri Oliveira e Vinicius Francês

Classificação: Livre

Duração: 60 minutos aproximadamente

Realização: Cia Diversidança, Cooperativa Paulista de Dança, Programa Municipal de Fomento à Dança e Secretaria Municipal de Cultura.

por ciasansacroma

Selecionados para Residência Artística 2017

paulo-henrique-sant-anna
Divulgamos a lista de candidatxs para participação na residência artística da Cia Diversidança.
_
Tínhamos solicitado a resposta de um segundo questionário, até 05/02, afim de conhecer as necessidades específicas de cada interessadx, porém só obtivemos 06 respaldo…
No entanto, decidimos receber todxs xs 06 candidatxs…
_
01. Afonso Braga
02. Claudia Mantovani
03. Geovana de Souza
04. Marcos Ramon
05. Roni Diniz
06. Ton de Mello
_
Xs demais candidatxs, ficam tbém disponíveis, caso ainda tenham interesse de nos visitar e tbém estar conosco.
_
Gostaríamos novamente de frisar que a Residência Artística, NÃO É REMUNERADA, mas é uma forma de ampliar e compartilhar o nosso fazer artístico, assim como potencializar a linguagem da dança na zona sul da cidade de São Paulo, revertendo também para a sociedade o aporte concedido pelo 21ª Edição de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo, no qual o projeto Ensaios Cartográficos: Um Manifesto Poético, foi contemplado.
_
Os encontros serão de terça, quinta e sexta, a partir das 18h, no auditório da Fábrica de Criatividade:
_
Rua Dr. Luís da Fonseca Galvão, 248
Pq. Maria Helena
São Paulo/SP
_
Ponto de referência: Estação Capão Redondo da Linha Lilás do Metrô, Igreja Nossa Senhora do Carmo, Escola Estadual Carolina Cintra. A Fábrica de Criatividade fica no mesmo prédio que a Escola de Idiomas 4you2;
_
Inicialmente os encontros irão acabar por volta de 19h30/20h, ao longo dos meses, a proposta é ir aumentando a carga horária, no máximo até às 22h.
_
Nosso primeiro encontro é nessa quinta-feira, dia 09/02/2017.
_
Também nos disponibilizamos para maiores esclarecimentos.
E mais uma vez, agradecemos o interesse!
_
Rodrigo Cândido
Diretor Geral e Artístico
Cia Diversidança
por ciasansacroma

VII Mostra de Repertório Coreográfico

Confira o que aconteceu na VII Mostra de Repertório Coreográfico…

Cia Diversidança apresentou de 24 à 27 de Novembro de 2016, a VII Mostra de Repertório Coreográfico, na Fábrica de Criatividade, espaço de resistência cultural e artística, localizado próximo da Estação Capão Redondo da Linha Lilás  do Metrô, com participação de sete núcleos artísticos convidados, incluindo a própria Diversidança.

VII Mostra de Repertório Coreográfico
Grupo Art’e

por ciasansacroma

Programação da VII Mostra de Repertório Coreográfico

Cia Diversidança apresenta de 24 à 27 de Novembro de 2016, a VII Mostra de Repertório Coreográfico, na Fábrica de Criatividade, espaço de resistência cultural e artística, localizado próximo da Estação Capão Redondo da Linha Lilás  do Metrô, com participação de sete núcleos artísticos convidados, incluindo a própria Diversidança.

slide1

No dia 24 de Novembro, temos a apresentação de “Forest” da ANIKAYA Dance Theater, dirigida por Wendy Jehlen, artista norte-americana com elenco composto por brasileiros. A missão da ANIKAYA Dance Theater e romper as paredes entres pessoas, culturas e formas de arte, estendendo o trabalho por todo o mundo. Em “Forest” você irá entrar no mundo imprevisível e sempre em evolução da floresta – um mundo desconhecido e fascinante,  cheio de serenidade e sensualidade, conflito e metamorfose…

img_27751Na mesma noite apresenta o Núcleo Iêê, com direção de Rafael Oliveira, contemplados pelo Programa de Valorização de Iniciativas Culturais – VAI, tem como finalidade, relatar por meio do corpo um estado de subversão do jovem periférico, que traz consigo uma estética marginalizada pela sociedade, levantando a questão: “O que é ser suspeito dentro de um corpo social?”, partindo dessa pergunta, o espetáculo “Dos olhares nasce o grito”, tem como intuito, transmitir corporalmente as emoções e sensações através da dança, música e poesia, inspirando-se em situações vividas pelos integrantes, depoimentos e relatos de pessoas que passaram e passam por esses instantes.  Ambos os espetáculos terão em seu termino bate papo com os espectadores. E pra finalizar a noite, na entrada da Fábrica de Criatividade, a Cia Diversidança, dirigida por Rodrigo Cândido, apresenta o Manifesto Poético “Por que danço?”, recentemente contemplados pela 21ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo com o projeto de pesquisa “Ensaios Cartográficos”, com intuito de amadurecer a proposta, realizada por meio de site specific, mas cuja proposta não somente perfaça pela sua relação com o espaço/território, mas que a vivência estabelecida possa trazer experiência não apenas estética, mas também simbólica para os transeuntes/espectadores. O Manifesto Poético, “Por que Danço?” reuniu depoimentos de diversos artistas da dança que expressaram em contexto político-social, convidados para relatar parte de suas histórias. Entrelaçadas com os dos próprios integrantes, seus relatos servem como ponto de instigação para que os transeuntes/espectadores possam compartilhar seus modos de ser, sentir e pensar a dança. Por que Danço? Em seus discursos, manifesta-se a importância que a Dança exerce no cotidiano dos artistas, transeuntes e espectadores.

 No dia 25 de Novembro, a programação continua com abertura do Grupo Corpo Molde de Dança-Teatro, dirigido por Renan Marangoni, apresentando seu novo espetáculo “Ausência”, o mesmo discute a cognição do corpo entre as relações humanas e afetivas no período tecnológico, que vivenciamos entre julgamentos abstratos e experiências subjetivas. O qual corpos emergem em seu interno, um corpo performático que,  busca responder e desmistificar as relações atuais, considerando como limite as próprias descobertas de corpo, carinho, atenção, falta, sexo, amizade e outros eixos simbólicos do “corpocarne”. A representação das experiências do mundo se tornam um ciclo de desenvolvimento corporal, desafiando os intérpretes a se provocarem em busca do que falta em si, em um processo de evolução.

fullsizerenderNa mesma noite a Cia de Dança Street Son, dirigida por Duda Moreno, apresenta “Falem Comigo”, que nasceu do estudo sobre LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e a Cultura Surda. Contemplados pelo prêmio Klauss Vianna de Dança da FUNARTE/2014, esse universo apresentou a comunicação que é feita através de um bailado expressivo, repleto de símbolos, significados e sentimentos. Serão mostrados nessa obra cênica alguns momentos que colaboram diretamente com a formação da identidade do surdo e do deficiente auditivo ao longo de suas vidas, a fim de instaurar inquietações e reflexões sobre a exclusão de uma porcentagem de indivíduos que anseiam por afetividade, diálogo e respeito. Preparando o público para experimentar outros canais de escuta! E pra finalizar a noite, com mediação do artista Marcos Ramon, realiza a Roda de Conversa “Que dança é essa que fomentamos nas bordas da cidade” com integrantes e diretores dos Núcleos participantes da VII Mostra de Repertório Coreográfico, afim de abrir um canal de escuta de diálogo dos agentes que hoje fomentam dança nas periferias da cidade de São Paulo.

 No dia 26 de Novembro, a noite começa com “Disforme” do Composto Mácula. Contemplados pelo Programa de Valorização e Iniciativas Culturais – VAI, “Disforme” lança um olhar sobre a experiência e seus atravessamentos, abordando as diferentes maneiras de se afetar pelos acontecimentos e informações. É uma reflexão sobre a trajetória do corpo que é constantemente transformado a partir da sua relação com o mundo. Nessa noite, teremos a reapresentação da Cia de Dança Street Son com “Falem Comigo”. Finalizando a noite com a Dentre Nós Cia de Dança, também contemplada pelo Programa de Valorização de Iniciativas culturais – VAI e dirigida por Rivaldo Ferreira, “Cartas á Casa de Pó”, tem como partida o estudo da pessoalidade de cada intérprete, trazendo as personagens presentes na peça de teatro “A casa de Bernarda Alba”, indagando a figura feminina no seu estado mais resistente e mais delicado. O espetáculo busca esse pertencer, essa dependência e fazer parte de algo pra existir. Utilizamos dessa metáfora para que possamos dizer que tudo está abarcado nessa pequena atmosfera, seja ela intrínseca ou extrínseca, refere-se ao antigo e ao que se foi. São relatos e rememorações estando em constante transformação de quem sou e de quem eu era.

dois-olhos-um-risco-1

No dia 27 de Novembro, temos “Dois Olhos e Um Risco” do Grupo Art’e de Diadema, com direção de Renato Alves e coreografia de Zezinho Alves e Elenco, O quadro “O Grito” (1893) de Edvard Munch, inspira o Grupo numa atmosfera de chegada e partida cíclico… Corpos lançados a campos concretos e sinestésicos. A vida e a morte como polos de “início” e “fim” revelam à cena o “meio” e suas camadas de incertezas e decisões. O “grito” que atravessa os corpos, latente, sutil e cotidianamente nos provoca a reflexão ante a individualidade do ser humano, seus medos e angústias; sua inquietude diante a ideia da “finitude”. No mesmo dia, a Cia Diversidança realiza um Encontro com Atuais e Ex-Integrantes que fizeram parte da trajetória da Cia, comemorando os seus 10 anos de história, lutas e conquistas.

24/11 – Quinta-Feira

18h – Anikaya Dance Theater com “Forest” + Bate papo

Forest - Tatiana Lika (1).jpgFoto: Tatiana Lika

Ficha Técnica / Direção Geral e Artística: Wendy Jehlen / Produção: Rodrigo Cândido / Concepção: Wendy Jehlen / Interpretes: Átila Muniz, Juliana Nascimento, Raíssa Tomasin, Rodrigo Cândido, Wendy Jehlen e Wellington Santana / Trilha Sonora: Michael Galasso, Nandlal Nayak, Guilllerme Franco, Dani Dalinian / Figurino: Wendy Jehlen/ Classificação Indicativa: LIVRE / Duração: 60 min

19h – Núcleo Iêê com “Dos Olhares Nasce o Grito” + Bate papo

Ficha Técnica / Direção: Rafael Oliveira / Bailarinos: Alex Araújo , Fernando Ramos, Guilherme Nicolas, Lion Santos, Juliana Jesus, Rafael Oliveira / Músicos: Thiago Penalva e Wesley Bahia / Produção: Mariana Prado / Classificação Indicativa: LIVRE / Duração: 60 min 

20h30 – Cia Diversidança com “Por que Danço? Manifesto Poético”

Por que Danço (Manifesto Poético) (85)Foto: Kaio Cezar

Ficha Técnica / Direção Geral e Artística: Rodrigo Cândido / Assistência de Direção Artística: Rosângela Alves / Concepção e Criação Artística: Rodrigo Cândido / Interpretes: Alessandro Saldanha, Felipe Santana, Iliandra Peluso, Marcio Vitorino, Rodrigo Cândido, Rosângela Alves e Vinicius Borges / Trilha Sonora Original: EdIT e Toska Suzuki / Edição da Trilha Sonora: Rodrigo Cândido / Figurino e Customização: A Cia / Depoimentos e Agradecimentos Especiais: Ana Bottosso, Andrea Soares, Andrey Alves, Cléia Varges, Cleber Vieira, Lucimeire Monteiro, Ivan Bernardelli, Pedro Costa, Priscila Maria Magalhães, Nany Oliveira, Roni Diniz, Sandro Borelli, Valeria Ribeiro, Vaneri Oliveira e Vinicius Francês / Classificação Indicativa: Livre / Duração: 45 min 

25/11 – Sexta-Feira 18h30 – Grupo Corpo Molde com “Ausência”

Ficha Técnica / Intérpretes-Criadores: Willian Farias, Renan Marangoni, Tatiane Santos, Vivi Bueno, Eduarda Carvalho e Bianka Andreatti / Direção Geral: Renan Marangoni / Concepção Textual: Grupo Corpo Molde / Produção: Wendell Araújo, Reheron e Júlia Paiva / Iluminação: Agnaldo Nicoletti / Cenografia: Studio Deixa / Objetos Cênicos: Karen Furbino Lages / Figurino: Bruna Rodrigues / Sonoplastia: Wendell Araujo e Diego Henrique / Trilha Sonora: Frank Van Garret / Classificação Indicativa: 16 anos / Duração: 50 min 

20h – Cia Street Son com “Falem Comigo”

Ficha Técnica / Direção Artística: Duda Moreno / Intérpretes criadores: Carlos Alexandre, Emerson Oliveira, Marcus Oliveira, Yago Azevedo, Duda Moreno / Ensaiadora/ Preparação corporal: Thays Peric / Professor de Dança Contemporânea: Robson Ferraz / Professor de LIBRAS: Filipe Macedo / Trilha sonora: Fabricio Zavanella, Duda Moreno / Colaborações sonoras: Rita Pontes e Luiz Pontes – Som de Cristal / Iluminação: Gabriela Rosso / Fotografia: Thays Peric / Figurino: Duda Moreno / Design Gráfico: Vitória Santos Juvêncio / Classificação Indicativa: Livre / Duração: 50 min

 21h30 – Roda de Conversa – “Que dança é essa que fomentamos nas bordas da cidade”.

Mediação: Marcos Ramon com integrantes e diretores dos Núcleos participantes da VII Mostra de Repertório Coreográfico. 

26/11 – Sábado

18h30 – Composto Mácula com “Disforme”

Ficha Técnica / Intérpretes criadores: Cristiano Saraiva, Gabriela Braz, Rafaela de Alencar e Thamires Marinho / Iluminação: Piu Dominó / Workshops: Ana Luisa Seelaender, Camila Bronizeski, Márcio Greyk e Liana Zákia / Provocação: Camila Bronizeski / Classificação Indicativa: Livre / Duração: 45 min 

20h00 – Cia Street Son com “Falem Comigo”

21h30 – Dentre Nós Cia de Dança com “Cartas á Casa de Pó”

Ficha Técnica / Direção e Criação: Rivaldo Ferreira / Intérpretes – Criadores: Cintia Rocha, Catarina Stevanato ou Rivaldo Ferreira, Giovana Santos, Julia Lima, Jeniffer Mendes e Thaina Souza / Cenário: Rivaldo Ferreira e Victor Almeida / Iluminação: Piu Dominó / Edição de Trilha: Rivaldo Ferreira e Jeniffer Mendes / Operador de Som: Rivaldo Ferreira / Fotos e vídeos: Rafi Souza, Glaupy Bratan e Rivaldo Ferreira / Designer Gráfico: Victor Almeida e Rivaldo Ferreira / Figurino: Ana Lucia e Elenco / Produção: Rivaldo Ferreira e Dentre Nós / Classificação Indicativa: 10 anos / Duração: 60 min 

27/11 – Domingo

14h – 2º Encontro de Atuais e Ex Diversidanças

15h – Grupo Art’e com “Dois Olhos e Um Risco”

Ficha Técnica / Direção Artística: Renato Alves / Assistente de Direção: Vanceli Masta / Coreografia: Zezinho Alves e elenco / Elenco: Ariana Macedo, Elen Ketleen, Lua Maciel, Piu Dominó e Vanceli Masta / Classificação Indicativa: 12 anos / Duração: 60 min 

____

VII Mostra de Repertório Coreográfico

Fábrica de Criatividade

Rua Dr. Luís da Fonseca Galvão, 248

Pq Maria Helena – São Paulo/SP

Entrada: GRATUITA

100m da Estação Capão Redondo da Linha Lilás do Metrô

por ciasansacroma