Por alguns cantos… da Cia Diversidança é selecionado para compôr o Curta Dança 2019

CURTA DANÇA é uma mostra de danças de curta duração, que visa ampliar o espaço de
produção e trocas de experiências artísticas na dança, e de linguagens corporais na cidade de Belo Horizonte. Em sua 4ª edição, o evento promove o encontro entre várias vertentes da dança e é aberto à participação de grupos, coletivos, bailarinos, estudantes, professores e artistas em geral, de qualquer região do País. 
A Mostra irá fazer parte das ações do Corredor Latinoamericano de Teatro. O CLT surgiu em 2014 como uma rede para pensar e fomentar o intercâmbio e circulação de grupos de teatro latinoamericanos, atualmente está em 6 países, com 5 festivais e parceria com mais 10 festivais internacionais . No final de 2017 se abriu para a dança e vimos o CLT como uma possiblidade para ampliar trocas do Curta Dança.
A mostra acontecerá do dia 04 ao dia 09 de dezembro de 2019, no Espaço Aberto Pierrot
Lunar, sempre às 20h. Em cada noite será realizado o tradicional bate-papo ao final de cada sessão, com um mediador convidado.
Abaixo link dos selecionados: http://curtadancabh.blogspot.com/
Anúncios
por ciasansacroma

Paixão pela Dança… Um vídeo do Portal Kondzilla!

O Portal Kondzilla entrevistou Rodrigo Cândido, diretor geral e artístico e Bárbara Santos, interprete criadora da Cia Diversidança… Além dos artistas Tainá Grando e Clayton Brasil da Cia Rodas para o ar!

Dá um play e deixa seu like!

por ciasansacroma

Estéticas da Periferia: Ocupa-Cênica: Conexão Campo Limpo / Capão Redondo

A proposta é discutir o lugar das artes cênicas enquanto manifestação cultural que cresce cada vez mais nas periferias, dialogando com espaços e faixas etárias diferentes e desmistificando a ideia de que esta é uma área elitizada. Um grande encontro de intervenções envolvendo dança, teatro, performance e falas contextualizadas dos integrantes dos grupos participantes. A escolha de realizar esta ação em uma escola está diretamente ligada ao fato de que a intenção é abrir essa discussão com um público jovem, dando à ação um caráter formativo e de inspiração, podendo fazer nascer novos protagonistas das artes cênicas no território.

Com Rodrigo Cândido da Cia Diversidança, Coletivo Teatral Bando Trapos, Lucas Oliveira (Performance) e The Femmex (Danças Urbanas).

Data: 30/08, 14h
Local: E.E. Professor Luís Magalhães de Araújo (Estrada do M’Boi Mirim, 3583 – Jardim das Flores, São Paulo/SP)

 

Confira toda a programação: http://acaoeducativa.org.br/blog/2019/08/02/esteticas-das-periferias-2019-zona-sul/

por ciasansacroma

8º Festival Internacional Cuerpo Digital

Cuerpo Digital - Capa

De 2 a 6 de Setembro em Cochabamba com projeções instalações, mostras de exibição de vídeo dança.

Exibição do vídeo dança “Por alguns cantos”, da Cia Diversidança na seleção oficial, com realização e edição de Leandro Caproni, trilha original de Vitor Gonçalves e direção artística de Rodrigo Cândido.

Confira programação completa:

Acessem o catálogo completo:

👉 Ingressos gratuitos!

por ciasansacroma

3ª Edição do Dança nas Bordas

https://dancanasbordasblog.wordpress

O Dança nas Bordas é uma mostra de dança que aglomera artistas, núcleos e cias de diferentes modos de criações, estéticas e linguagens. O Dança nas Bordas é um encontro de processos, exibições, apresentações e diálogos a cerca das pesquisas e inquietações de artistas que produzem, fomentam e difundem dança na zona sul e convidados, de forma plural e diversificada, sobretudo nas bordas da capital de São Paulo. A programação conta com atividades formativas, desde roda e conversa, exibição de vídeo dança e a realização de oficinas, abrangendo a diversidade das linguagens em dança, além da apresentação de espetáculos de diferentes núcleos artísticos.

Contemplada pelo “CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE FESTIVAIS DE ARTES II NO ESTADO DE SÃO PAULO” – PROAC EDITAIS 2018 – Nº 15/2018, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. Realizada de 21 de Março a 13 de Abril de 2019, com entrada gratuita para interessados em geral, no Espaço Cultural CITA, localizado na zona sul da cidade de São Paulo, no distrito do Campo Limpo.

O Espaço Cultural CITA é uma ocupação artística, sendo atualmente um dos espaços de resistência, que abriga residência, formação e programação na área das artes.

Ministraram as oficinas: Douglas Honorato, Jaay Silva, Marcelino Dutra e Rivaldo Ferreira. Exibições de vídeos dança com Danielle Rodrigues, Leandro Caproni, Rafael Berezinski, Raffab Ajá e Rafi Sousa. Intervenções urbanas com Coletivo Desvelo, Cia Diversidança, Dentre Nós Cia de Dança e Grupo Batakerê. Solos de Débora Marçal, Djalma Moura, Flip Couto e Marcus Moreno. Espetáculos com Cia da Vila, Coletivo Calcâneos, Coletivo Limiar, Novo Corpo Cia de Dança, Rumos Cia Experimental, Transense Cia de Dança e Zona Agbara. Rodas de conversa com Camila Odara, Carol Almeida, Chocks Oliver, Diane Sousa, Erico Santos, Felipe Santana, Guilherme Freitas, Jeniffer Mendes, Jéssica Lima, Kleber Cirqueira, Leonardo Cordeiro, Mariane Oliveira, Mi Spinelli, Ronaldo Mota, Renatha Dornelas e Tábata Alves com mediação de Rodrigo Cândido e apresentações de Felipe Santana, Daiy Silva & Kleber Cirqueira, Denise Capelo & Leonardo Cordeiro, Jéssica Lima & Lucas Blaide, Juliana Freire & Ronaldo Mota, Diane Sousa & William Santos. Cortejo com Bloco Afro É di Santo e Festa “PiriGOZA” da Cia Diversidança, além dos DJ’s Bárbara Santos, Felipe Santana, Juninho JJ e Rodstyle.

Além disso, realizamos um especial em parceria com a finalização do projeto Afã do Coletivo Olhares de Guiné com realização de workshops com Aghata Saan, Ana Guerra e Bárbara Santos. Roda de conversa com Camila Odara, Felipe Santana e Rodrigo Cândido. Exibição do vídeo dança “AFÔ, com Camila Odara, Felipe Santana, Guilherme Freitas, Júlia Lima, Potira Marinho, Rivaldo Ferreira e Victor Almeida. Coquetel de encerramento do projeto “AFÔ, abertura da 3ª Edição do Dança nas Bordas com a exposição “Cia Diversidança, fragmentos de uma década” e discotecagem com Aghata Saan.

FICHA TÉCNICA / Idealizador, Programador e Produção Geral: Rodrigo Cândido / Assistente de Produção: Simone Gonçalves / Designer e Arte Gráfica: Aggelos Finikas / Mídias e Redes Sociais: Rodrigo Cândido / Assistente de Exposição: Valéria Ribeiro / Recepção: Bárbara Santos e Jeniffer Mendes / Camarins: Valéria Ribeiro e Rivaldo Ferreira / Técnico de Som: Alessandro Saldanha / Técnicos de Luz: Felipe Santana e Felipe Tchasa / Fotografia, Filmagem e Edição de Vídeo: Ake Filmes / Assessoria de Imprensa: 7 Fronteiras Comunicação / Apoio: Coletivo Guiné, Espaço Cultural CITA / Realização: Cia Diversidança, Cooperativa Paulista de Dança, Programa de Ação Cultural – PROAC Editais, Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Governo do Estado de São Paulo.

por ciasansacroma

Por alguns cantos será exibido no 8º Cuerpo Digital em Cochabamba

VIII FESTIVAL INTERNACIONAL CUERPO DIGITAL
Memória, corpo e território

Cuerpo Digital - Capa

“Cuerpo digital” propõe ser uma plataforma de experimentação e diálogo entre diferentes disciplinas artísticas, onde convergem as mais diversas formas de abordar o trabalho de dança na tela. Lançamos o presente convocação a nível nacional e internacional para videodanzas, documentários ou vídeo experimental relacionados com o empoderamento da cosmovisão das culturas dos povos através da visualização de suas danças e costumes.
É importante promover a inclusão de danças dos povos originários na cena contemporânea e assim construir a nossa própria contemporaneidade desde as raízes de cada região.
A dança para os nossos povos ao redor do mundo é um espaço para recarregar de força para continuar a viver, dança-se a alegria, dança-se a tristeza, dança-se o amor… através da dança se ultrapassa a própria corporeidade para se relacionar com o Sagrado com o intangível, com as forças da natureza, a vida mesma é uma dança desde o movimento das nuvens até as mudanças de estação, os animais a natureza dançam, mas é uma dança que flui que é instinto.

O Festival se realizará em diferentes espaços culturais e públicos da cidade de Cochabamba na Bolívia de 2 a 6 de Setembro de 2019.

Confira alguns dos selecionados:

Mais informações: https://www.facebook.com/cuerpodigitalbolivia/

por ciasansacroma
Imagem

Cia Diversidança reestreia Tempo de Reprodução no Teatro Cacilda Becker

Tempo de Reprodução

Em comemoração aos #13anos, a Cia Diversidança tem realizado em 2019, uma série de ações. Em março e abril realizaram a 3ª Edição do Dança nas Bordas, festival que aglomera artistas de produções periféricas, além da realização da exposição “Cia Diversidança: Fragmentos de uma década”. Já em maio, realizaram a VIII Mostra Mostra de Repertório Coreográfico, que aglomera ações diretamente realizadas pelo núcleo artístico, além de contar com a presença de artistas e cias convidadas. E nos dias 28, 29 e 30 de junho, reestreia o espetáculo Tempo de Reprodução, sexta e sábado às 21h e domingo às 19h, com entrada gratuita.

A experiência de vida norteia a pesquisa de linguagem estética da Cia Diversidança, entendida como um canal que pretende reverberar em nossas danças as indagações singulares e coletivas, numa abordagem poética, emocional, simbólica e política, que apontem para as intersecções entre a arte e a vida. Por meio de investigações que partem de um desejo de buscar na Dramaturgia da Memória, inspiração, por meio de dispositivos criativos, utilizados para compor a dramaturgia que busca a recordação da sensação, a potência emocional vivenciada, o estado psicológico adquirido ao presenciar determinadas questões e como a vida interfere no modo de ver, ser e estar no mundo.

Tempo de Reprodução é uma remontagem homônima de criação realizada em 2014 pela Cia Diversidança, desvelando questões sobre a vida e a morte, por meio do imaginário dessas forças convergentes e/ou divergentes. O cronológico, sequencial, quantitativo, marca a finitude e temporalidade humana no processo de envelhecimento do corpo. O cariotico, oportuno, qualitativo, da graça maior que plenifica a vida e lhe dá sentido. O acaso trilaria nossa jornada e o karma poderia sistematizar nossas ações? Seria o destino a intermediação entre a vida e a morte, o cronológico e o cariotico? Seriam esses fatores os responsáveis por fabricar, tecer e cortar o que seria o fio da vida de todos os indivíduos.

Como nos relacionamos com a vida e com a morte? Como isso se relaciona com o nosso dia a dia, conectando nossa jornada, por meio do passado, o presente e as perspectivas para o futuro? O que as grandes metrópoles podem influenciar na nossa forma de ser, sentir e estar no mundo?

Tempo de Reprodução é um convite para percebermos e analisarmos os índices de natalidade e mortalidade nas metrópoles, enfatizando questões sobre a cidade de São Paulo e suas periferias.

Ficha Técnica: Direção Geral: Rodrigo Cândido / Concepção: A Cia / Interpretes – Criadores: Alessandro Saldanha, Marcelino Dutra, Rodrigo Cândido, Rosângela Alves e Vinícius Borges / Elenco: Alessandro Saldanha, Bárbara Santos, Felipe Santana, Jeniffer Mendes e Rodrigo Cândido / Trilha Sonora: Vitor Gonçalves / Figurino: A Cia / Cenografia: Rodrigo Cândido / Edição de Vídeos: Vinicius Borges e Rodrigo Cândido / Interprete da projeção: Vinicius Borges

Classificação: Livre / Duração: 60 minutos

Realização: Cia Diversidança e Secretaria Municipal de Cultura / Apoio: Cooperativa Paulista de Dança / Pin Rolê Produções e Espaço Cultural CITA

Onde?

Teatro Cacilda Becker

Rua Tito, 295 – Lapa, São Paulo – SP, 05.051-000

28 e 29 de Junho às 21h e 30 de Junho às 19h

Entrada Gratuita

Mais informações:

@ciadiversidanca

https://www.facebook.com/events/2058819631088701/

 

por ciasansacroma